segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

PRESIDENTE OU PRESIDENTA?



  1. PRESTEM BEM ATENÇÃO.

    NÃO É PORQUE ALGUEM QUER SER CHAMADO DE "PRESIDENTA" QUE DEVEMOS ACEITAR.   EXISTEM REGRAS GRAMATICAIS QUE DEVEM SER CUMPRIDAS.     SE ALTERARMOS UMA ÚNICA PALAVRA PARA CONTENTARMOS  ALGUEM,  OUTRAS PALAVRAS DE MESMO VALOR GRAMATICAL TAMBÉM DEVEM SER ALTERADAS .

    ENTÃO ESTUDE A REGRA ABAIXO E COMPRE ESSA BRIGA.


    No português existem os particípios ativos como derivativos verbais. Por exemplo: o particípio ativo do verbo atacar é atacante, de pedir é pedinte, o de cantar é cantante, o de existir é existente, o de mendicar é mendicante… Qual é o particípio ativo do verbo ser? O particípio ativo do verbo ser é ente. Aquele que é: o ente. Aquele que tem entidade. Assim, quando queremos designar alguém com capacidade para exercer a ação que expressa um verbo, há que se adicionar à raiz verbal os sufixos ante, ente ou inte.
    Portanto, a pessoa que preside é PRESIDENTE, e não “presidenta”, independentemente do sexo que tenha. Se diz capela ardente, e não capela “ardenta”; se diz estudante, e não “estudanta”; se diz adolescente, e não “adolescenta”; se diz paciente, e não “pacienta”.
    Um bom exemplo do erro grosseiro seria:
    “A candidata a presidenta se comporta como uma adolescenta pouco pacienta que imagina ter virado eleganta para tentar ser nomeada representanta. Esperamos vê-la algum dia sorridenta numa capela ardenta, pois esta dirigenta política, dentre tantas outras suas atitudes barbarizentas, não tem o direito de violentar o pobre português, só para ficar contenta”.

    Por favor, pelo amor à língua portuguesa, repasse essa informação.

    INÁCIO JOSUÉ FORMADO EM LETRAS PELA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA.

Um comentário:

  1. O PresidentO •
    A palavra 'presidenta" é uma aberração e um estupro da língua portuguesa e principalmente da origem da língua portuguesa. "Presidente" vem do verbo latino "praesidere" e é derivado do ablativo (praesidente) do particípio "praesidens". Os idiomas romanos como o português, italiano ou espanhol derivam muitos substantivos do ablativo da palavra de origem em latim. Palavras com o sufixo "-nte" no ablativo em latim não podem ter uma forma feminina, pois esse sufixo pode ser masculino e feminino. Existe tão pouco a presidenta como não existe o presidento, mas apenas o presidente ou a presidente. A forma como alguns professores universitários querem justificar o uso da palavra "presidenta" é reveladora, envergonhante e prova que eles estão no lugar errado. Pobre Brasil, penso eu! Quem usa "presidenta" como forma feminina de "presidente" mostra uma ignorância total com gramática e etimologia.

    ResponderExcluir