segunda-feira, 29 de agosto de 2011

MODÉSTIA GAÚCHA



 
Tchê! Nunca te esqueça!  Porque somos tão modestos: 

Deus é gaúcho, 

São Pedro é o capataz, 

O sol é um fogo de chão que se alastrou, 

O Atlântico é salgado porque a indiada daqui batia os espeto perto dos rio, 

O Saara é um deserto porque foi das árvores de lá que vieram os espetos, 

A maior churrascada que se fez, resultou na extinção dos dinossauros, 

A 2ª Guerra se deu por causa que o Turco Salim de Bagé queria tomar conta dos bolichos em Uruguaiana, 

O Rio Grande amado é o único Estado que faz divisa com 3 países: Uruguai, Argentina e Brasil ! 

Esses terremotos que andam ocorrendo por aí são decorrência de uns concurso de xula na fronteira... 

E por aí se vai essa porção de terras ao redor do Rio Grande, chamada MUNDO! 
 
GAÚCHO,
... é morar em Florianópolis e dizer que Caxias do Sul é melhor; 
... é assinar Zero Hora em Nova York; 
... é estar no Maracanã escutando a Rádio Gaúcha; 
... é achar que a FREE WAY é a nona maravilha do mundo; 
... é comemorar uma revolução que não deu certo; 
... é chamar a mulher de prenda; 
... é dizer que é fácil fazer churrasco; 
... é comer a costela antes da picanha; 
... é comer NEGRINHO em vez de brigadeiro; 
... é falar TCHÊ ao telefone só pra ver se descobre outro; 
... é falar TU em vez de VOCÊ; 
... é enviar cartão postal de TORRES; 
... é fazer compras no SÚPER rsrs; 
... é achar que o LAÇADOR é maior e mais bonito que o Cristo Redentor; 

... é cantar o hino Rio-Grandense com mais EMOÇÃO que o hino nacional;   
... é achar que o GUAÍBA é rio; 
... é dizer que tomar água à 100º C com gosto de mato é coisa de macho; 
... é chamar geléia de CHIMIA; 
... é chamar doce de leite de MU-MU; 
... é falar roleta em vez de catraca; 
... é falar lomba em vez de morro; 
... é poder falar tri legal ou muito tri; 
... é chamar quarteirão de quadra... 
... é chamar semáforo de sinaleira (ninguém entende)... 
... é falar "capaz" (ninguém entende também)... 
... é torcer pra qualquer time que esteja jogando contra o time adversário (grêmio ou inter)... 
... é ficar babando na frente do açougue e achar carne "linda"... 
... é gostar de passar frio (5 graus e o índio velho vai colocar um moletom) 
... Outra coisa que só o gaúcho fala é "pechada" quando se refere a uma batida de carros.. ninguém entende...
... Chegar no mercado e pedir : me dá 5 pila de cacetinho e 1 kilo de guisado .... 

Ser gaúcho é 

- saber que nossa característica é a bravura e não o jeitinho; 
- é ser franco e direto, nem que isso cause inimizades; 
- é ser humilde em ambições, mas exagerado em ideais e paixões;

Por isso eu tenho orgulho de ser chamado de 
"GAÚCHO". 

 

sábado, 27 de agosto de 2011

DO INSULTO À INJÚRIA



* Escrito pelo Dr. SIRO DARLAN (Desembargador da 7ª Câmara Criminal do
Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro) e publicado pelo jornal O
DIA online, em 15/08/2011.



"Pouco mais de 24 horas se passaram desde que a juíza Patrícia Lourival
Acioli foi chacinada. Quando se pensava que a covardia desse ato ficaria
restrita a ele próprio - um insulto em forma de cusparada de sangue na cara
do País -, se vê a ele somada a injúria da empáfia das autoridades públicas,
especialmente as do Judiciário do Estado do Rio de Janeiro.



O atual presidente do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro se
apressa em justificar o injustificável: o motivo para uma juíza que até as
paredes do Fórum de São Gonçalo sabiam ameaçada de morte estar completamente
à mercê de seus matadores é singelo: ela não requisitara proteção, por
ofício. Não obstante, sem ofício, ou melhor, de ofício, sua segurança,
conforme avaliação (feita por quem? com base em que critérios?) do próprio
tribunal, havia minguado na proporção inversa do perigo a que a juíza
diariamente se via submetida. Fica, assim, solucionado o crime: Patrícia
cometeu suicídio. Foi atingida por si mesma, 21 vezes, vítima de sua caneta
perdida, que se encontrava a desperdiçar tempo mandando para a cadeia
milicianos e todo tipo de escória que cresce à sombra do Estado, de sua
corrupção e de sua inoperância. 



Patrícia era uma incompetente, uma servidora pública incapaz de fazer um
ofício! Não é isso que o senhor quer dizer, Presidente?



Que vergonha, Exa.! Por que no te callas? Melhor: renuncie ao seu cargo. No
mínimo será muito difícil seguir à frente do Tribunal de Justiça do Estado
do Rio de Janeiro, com a morte de Patrícia em suas costas. Ela está agarrada
ao seu corpo e ao do seu antecessor, como uma chaga pestilenta. Sua
permanência no ambiente dá asco e ânsia de vômito.



Qualquer pessoa que assistisse ao noticiário televisivo, que lesse jornal ou
que tivesse acesso a algum outro veículo de imprensa nacional tinha
conhecimento da situação de Patrícia e de que sua vida estava em risco. Não
a Presidência do TJRJ. Segundo palavras do ex-presidente daquele órgão, seu
único contato com a juíza se deu numa ocasião em que esta por ele foi
chamada para prestar esclarecimentos a respeito de um entrevero que tivera
com um namorado. O fato chegou às folhas e S. Exa., o então Chefe do
Judiciário, se sentia no dever de agir logo, chamando às falas (sem ofício)
a subordinada que colocava em xeque a imagem do Poder por ele gerido. Mas,
para proteger a vida de Patrícia - ah, aí é querer muito! - era fundamental
um ofício! E fico a pensar: em quantas vias? 21? As cópias deveriam ser em
carbono azul ou seria possível usar um modelo vermelho sangue? 



Era necessário que a magistrada juntasse ao expediente um mapa com a
localização do Fórum de São Gonçalo, talvez? Ou um comprovante de
residência? Atestado de bons antecedentes? Declaração dos futuros assassinos
afirmando que a ameaça era real (a lista encontrada com o 'Gordinho' não
tinha firma reconhecida, nem era autenticada, afinal).



Não tentem ler a minha mente, sem antes chamar um exorcista. Magistrados de
primeira instância, uni-vos! Vossa integridade física está à mercê da
fortuna. Vossa vida a depender de uma folha de papel. Vossas famílias nas
mãos de mentecaptos. Marginais e milicianos em geral devem estar com a
dentadura escancarada num esgar de romance policial. Bastaram duas motos,
dois carros, um bando de vermes, 21 tiros e poucos segundos para derrubar o
castelo de cartas que era a imagem da Justiça no Estado do Rio. Com tão
pouco se revelou a podridão de um reino de faz-de-conta, o que contrasta com
o quanto foi necessário para liquidar uma mulher só.



Um Poder sem força, sem visão, sem preparo; um setor do serviço público que
se transformou, em verdade, numa grande empreiteira; quando não em um balcão
de negócios (quebre-se o silêncio!). É inacreditável que a mais alta
autoridade judicial do Estado sequer ruborize ao dizer que a proteção de uma
juíza comprovadamente listada como alvo da milícia dependia de um pedido
escrito. A declaração do magistrado-mor revela aos interessados em seguir
matando juízes que o "Poder" por ele administrado não tem a menor ideia da
realidade enfrentada pelos julgadores de primeira instância. Precisa ser
provocado, cutucado, instado. O pleito de auxílio aos que dele carecem deve
passar por um processo, um crivo que, como se viu, é muito eficiente, se o
resultado perseguido for a eliminação daquele que precisa ser protegido. O
Judiciário não realiza, por sua conta, qualquer controle, não mantém
investigação permanente, não monitora seus inimigos: é um Poder-banana.



Os juízes de direito, de agora em diante, se transformaram na versão
nacional do dead man walking (expressão gritada pelos guardas quando
acompanham os sentenciados até o local da execução, nos presídios com
corredor-da-morte, nos EUA). Os próximos serão os promotores, os delegados
de polícia (os agentes penitenciários já são eliminados de há muito, assim
como os jornalistas), os homens de confiança do Secretário de Segurança e
este mesmo. Governador, tremei. Quem há-de impedir que isso ocorra?



A temporada de caça está aberta. A porta do Judiciário era sem trinco e
agora não adianta colocá-lo. Tarde demais. Até que a Justiça se mova e
organize um sistema de autodefesa pró-ativo (e não movido à base de
papeluchos), muitos perderão a vida. O crime não precisa se organizar. Basta
conhecer o endereço do juiz, discando 102. 



Pior: doravante, será mais do que suficiente um olhar de soslaio do réu para
que o juiz assine - trêmulo, mas de pronto - o alvará de soltura. Eu, no
lugar de qualquer deles, assinaria. Você não? Bem-vindos à terra sem lei,
sem vergonha e sem senso de ridículo.



Não se esqueçam de Patrícia Acioli!"

RACIOCÍNIO RÁPIDO



CRITÉRIO É CRITÉRIO

Chegaram 700 currículos à mesa do diretor de uma grande multinacional. 
Ele diz à secretária: 
Pegue os 30 que estão no topo da pilha e chame-os para serem entrevistados.
Jogue os restantes na máquina fragmentadora.
O senhor está louco? São 670 pessoas! Talvez os melhores estejam lá!
Ele responde:
Eu não preciso de gente sem sorte ao meu lado.
-------------------------------------
 
 EMPREGADO NOVO                        
                                                                
O gerente chama o empregado da área de produção, negão, forte, 1,90m de altura, 100kg, recém admitido, e inicia o diálogo:    
- Qual é o seu nome?                     
- Eduardo - responde o empregado.                 
- Olhe, - explica o gerente - eu não sei em que espelunca você trabalhou antes, mas aqui nós não chamamos as pessoas pelo seu primeiro nome.
Isso é  muito familiar e pode levar a perda de autoridade. Eu só chamo meus  funcionários pelo sobrenome: Ribeiro, Matos, Souza... Então saiba que eu sou seu gerente e quero que me chame de Mendonça. Bem, agora quero saber: qual é o seu nome completo?                  
O empregado responde:                       
- Meu nome é Eduardo Paixão.               
- Tá certo, Eduardo. Pode ir agora... 
--------------------------------------------
 
 
PEDIDO DE AUMENTO

O jovem empregado vai à sala do diretor da empresa onde trabalha: 
 - Senhor diretor, vim aqui para pedir um aumento. E adianto já que há quatro empresas atrás de mim. 
Com medo de perder aquele promissor talento, dobra o salário... as empresas valorizam os funcionários quando
eles recebem outras propostas...
 - Mas mate-me uma  curiosidade. Pode dizer-me quais são essas quatro empresas?
 - Sim, senhor. A da luz, a da água, a do telefone e o meu banco!!!
 -------------------------------------------
 

  
Pra testar o caráter de um novo empregado, o dono da empresa mandou colocar 500 reais a mais no salário dele.   
Passam os dias, e o funcionário não relata nada..   
Chegando outro mês, o dono faz o inverso: manda tirar 500 reais.   
No mesmo dia, o funcionário entra na sala pra falar com ele: 
- Doutor, acho que houve um engano e me tiraram 500 reais do salário.   
- É ? Curioso que no mês passado eu coloquei 500 a mais e você não falou nada.   
- É que um erro eu tolero, doutor, mas DOIS, eu acho um absurdo!

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

MISTÉRIO NOS ESTADOS UNIDOS


Mistério da História 


Pergunta a um professor de história se ele ou ela consegue explicar isto 
mas eu penso que não vão conseguir.


Abraham Lincoln foi eleito para o Congresso em 1846. 
John F. Kennedy foi eleito para o Congresso em 1946. 

Abraham Lincoln foi eleito Presidente em 1860.
John F. Kennedy foi eleito Presidente em 1960. 

Ambos se preocupavam muito com, sobretudo, os direitos civis. 
Ambas as suas esposas perderam crianças enquanto habitavam a casa branca. 

Ambos os Presidentes foram assassinados numa sexta-feira. 
Ambos os Presidentes levaram um tiro na cabeça.

E agora é que se torna mais estranho:


O secretário de Lincoln chamava-se Kennedy,

O secretário de Kennedy chamava-se Lincoln.

Ambos foram assassinados por alguém dos estados do sul.
Ambos os Presidentes foram sucedidos por um homem do sul chamado Johnson. 


Andrew Johnson, que sucedeu a Lincoln, nasceu em 1808. 
Lyndon Johnson, que sucedeu a Kennedy, nasceu em 1908.


John Wilkes Booth, que assassinou Lincoln, nasceu em 1839... 
Lee Harvey Oswald, que assassinou Kennedy, nasceu em 1939...


Ambos os assassinos eram conhecidos pelos seus 3 nomes.
Ambos os seus nomes eram formados por 15 letras.

E agora, segura-te: 
Lincoln foi assassinado num teatro chamado "Ford"
Kennedy foi assassinado num carro da marca Lincoln, feito pela "Ford" 

Lincoln foi assassinado num teatro e o seu assassino correu para um armazém
para se esconder. 
Kennedy foi assassinado a partir dum armazém e o seu assassino fugiu para
um teatro e escondeu-se lá.

Booth e Oswald foram assassinados antes do seu processo. 

E aqui vai a cereja no topo do bolo . 

1 semana antes de Lincoln ser assassinado, ele esteve em Monroe, no estado
de Maryland 
1 semana antes de Kennedy ser assassinado, ele esteve com Marilyn Monroe.


Quem é que pesquisou tudo isto?


Incrível: 
1) Dobra uma nota de US$ 20nova em duas partes...

2) Torna a dobrar e cuida de a dobrar exactamente como na imagem abaixo 


3) Dobra a outra parte tal e qual como aqui 


4) Agora vire-a...

Que coincidência! um simples dobrar geométrico duma nota de US$ 20 dollar
revela uma catástrofe, visível em todas as notas de US$ 20 dólares!!! 

Coincidência? 

Tu é que decides 
Se isto ainda não fosse suficiente, isto é o que viste:
Primeiro: o Pentágono a arder...

Depois, as Twin Towers


E olha aqui... !! 


Três incidentais desastres numa nota de US$ 20 dollar? 
Desastre 1 (Pentágono)
Desastre 2 ( Twin Towers )
Desastre 3 (Osama)???

E ainda se torna melhor: 11 + 9 = US$ 20 !!
(11/9 = onze de Setembro, o dia dos ataques às Twin Towers e ao Pentágono)


Estranho, hein? 

Isto é uma lição de história, sobre a qual as pessoas não se importam de
ler!




segunda-feira, 8 de agosto de 2011

A CULTURA DA SUBMISSÃO E O MASSACRE NA NORUEGA



A primeira morte no massacre da Noruega foi causada pelo maluco
assassino. Todas as demais mortes foram causadas pela estupidez dos
desarmamentistas, pela famigerada cultura de submissão e covardia
propagada por covardes pacifistas com seus ideais “politicamente
corretos”
Recapitulando: depois do ataque à bomba contra o escritório do
primeiro-ministro, o psicopata atacou à tiros o acamp amento de jovens
do Partido Trabalhista na Ilha de Utoya, a 40 km de Oslo, deixando
mais oitenta e cinco mortos.
Horrível, monstruoso? Sim. Inevitável? Não. É o resultado da
submissão e covardia, que transformam o cidadão num debilóide
incapaz e sempre dependente das instituições do Estado. Essa
ideologia de renuncia ao direito e à capacidade de defender sua
família, sua propriedade e sua própria vida, torna o indivíduo
fraco, submisso e covarde; entregando toda a responsabilidade ao
governo, à polícia e ao judiciário e abrindo mão de seus meios de
defesa – especialmente as armas. –. Limita-o a gritar debilmente:
“sou da paz” e a pensar que cumpriu seu dever livrando-se do brio
e da coragem.
“Não reaja”, dizem os maus políticos, a grande mídia e as ONGs
pra lá de suspeitas. “Nem olhe para o bandido, para que ele não
tema que você o reconheça” “Nunca ande comp letamente sem
dinheiro, mas sempre leve algum para que o ladrão não fique
irritado. Discurso bonitinho, mas prejudicial. Na prática torna você
uma vítima indefesa, dependendo da misericórdia de pessoas de má
índole. O resultado é cada vez mais,freqüentemente , ser morta a
vítima indefesa, mesmo sem reagir.

O que aconteceu na Noruega?

Havia 560 pessoas na ilha e apenas um atirador. Ninguém reagiu.
Seriam 560 contra um. Mesmo assim o maluco solitário matou 85 pessoas
e saiu ileso e sorridente. O agressor agiu livremente por uma hora e
meia sem que ninguém lhe oferecesse qualquer resistência. Todos
ficaram aguardando a chegada de um salvador. Para pelo menos 85 deles,
o salvador nunca chegou (havia um policial dando a segurança e,
alegrem-se os pa cifistas das ONG, totalmente desarmado). Foi o
primeiro a ser abatido.
Quinhentas e sessenta pessoas entraram em pânico e tenta ram fugir sem
sequer pensar em reagir, alguns se escondendo atrás de pedras, outros
se jogando ao mar, outros se escondendo no banheiro. Outros,
paralisados de medo, só não foram abatidos por sorte.
Enquanto o agressor gritava que ia matar todo mundo, passeando entre
corpos de vítimas já abatidas, alguns se fingiram de mortos. Houve
até quem usasse outras pessoas como escudos huma nos, tremendo de
medo enquanto seus amigos eram alvejados e seus corpos caiam sobre
ele.
Como é possível que ele tenha permanecido uma hora e meia atirando
sem que ninguém entre cerca de 560 pessoas tenha gritado “PRA CIMA
DELE, TODO MUNDO!”???
Resposta: porque, mais do que no Brasil, na Noruega a população é
doutrinada segundo a cultura de submissão e covardia que os torna
incapazes de lutar até mesmo por suas vidas. Deixam-se matar sem
combater, como cordeiros, e o lobo nem se importa com o número dos< br />cordeiros. Entretanto mesmo alguns animais são capazes de atitudes
muito mais dignas, solidárias e coordenadas Enquanto cordeiros e
veados procuram apenas fugir, os búfalos, os porcos do mato e mesmo
os pequenos macacos prego, por vezes atacam em grupo, furiosamente ao
agressor de um deles. Não se deixam abater pelo medo. Sua dignidade e
sua coragem superaram o temor. Naturalmente não estariam dispostos a
abrir mão de usar suas armas, mesmo que sejam os pequenos dentes do
macaco prego. Agora, se você entra num galinheiro para pegar uma
galinha, nenhuma o utra o enfrentará. Procurarão apenas salvar a
pele. “Cococó, cocorocó, ufa! Não fui eu.”.

O que aconteceu no massacre na escola em Realengo :
Aqui, em nosso País, o massacre de Realengo só foi interrompido pela
arma de um sargento da PM. Não fosse esse policial, que entrou pelos
corredores onde só se ouviam disparos, choros e gri tos - o numero de
vítimas seria incalculável pois ainda havia muitas crianças para
serem mortas e munição não faltava ao psicopata. Mas tinha um homem
que chegou e encerrou a tragédia porque portava uma arma. Era um
policial, mas poderia ser um professor, ou qualquer cidadão honesto
que portasse uma arma.
Ninguém pode esperar que se coloque um policial em cada sala de aula.
Foi sorte aquele policial ter sido encontrado por uma criança a três
quadras dali, mesmo assim chegou tarde para doze crianças. Houvesse
um policial na escola, certamente o psicopata o teria morto a
traição antes do massacre. Apenas uma cultura de reação e pessoas
armadas o poderiam ter evitado.
Ainda em nosso País há algum tempo atrás, um maluco, estudante de
medicina, sob efeito de remédios, iniciou um massacre em um cinema.
Não me lembro quantos matou, mas várias pessoas, ignorando o medo,
pularam em cima e o dominaram. É assim que se faz; melhor teria sido
se algumas dessas pessoas honradas tivessem armadas. Naturalmente a
mídia desestimula: É perigoso reagir. Mais perigoso é se deixar
matar.
Na Noruega, país de população ambientalista parece ter perdido a
referencia da realidade na tentativa pacifista de "interagir" com
criminosos e animais selvagens, todo mundo é da " paz".
Na Suíça isso teria sido diferente; o psicopata cairia rapinho,
morto no chão. A Suíça é um pais pacífico, é, mas o mais armado
a nível de cidadania civil. Pacífico, não pacifista. Tranqüilo,
não covarde. Se, na Noruega, um estivesse armado no meio da
confusão. a tragédia seria menor, mas lá o cidadão não pode ter
armas. Nem a polícia. A Noruega é uma das patrocinadoras das OGNs
"Viva Rio e Sou da Paz que atuam no nosso Brasil. Emblemático, não
acham?
Se o desarmamento e o incentivo a “não reaç� �o” incentivam o
banditismo, complicando a segurança pública, pior ainda é quando se
trata da segurança nacional. Aí então é que atrai todas as
desgraças. A Noruega , com seu pacifismo e sua debilidade militar,
atraiu simultaneamente a invasão britânica e a alemã na II Guerra e
sua capital foi tomada por uma banda de música, enquanto a Suíça
ficou sem ser invadida nas duas grandes guerras .
Por que será? - É porque a Suíça reage e sua população é
armada. A Noruega, desarmada e pacifista, ou seja, acovardada, é
invadida e ocupada. A Suíça, corajosa e bem armada, conquista o
direito de viver em paz.
Está na hora de pensar que tipo de nação queremos ser. Se queremos
ser uns grupos de pessoas vestidas de branco, choramingando para
conscientizar os malfeitores, se querem nossos filhos amedrontados,
encerrados em casa, ou se os queremos “pisando firme, cantando alto
e sorrindo livres”
Que Deus guarde a todos vocês

Gelio Fregapani

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

SETE DICAS DE GESTÃO EMPRESARIAL



1- Um rapaz vai a uma farmácia e pergunta:
Tem preservativo? Minha namorada me convidou para jantar esta noite na casa dela.
O farmacêutico dá-lhe o preservativo e o jovem sai. De imediato, volta, dizendo:
Senhor, dê-me outro. A irmã da minha namorada é uma gostosona, vive cruzando as pernas na minha frente. Acho que também quer me dar...
O homem dá o preservativo ao jovem. Ele volta, dizendo:
Quero outro. A mãe da minha namorada também é boa pra caramba. A velha vive se insinuando, deve ser mal comida, e como eu hoje vou jantar lá na casa delas....
Chega a hora da comida e o rapaz está sentado à mesa com a namorada ao lado, a mãe e a irmã à frente. Neste instante entra o pai da namorada . O rapaz baixa imediatamente a cabeça, une as mãos e começa a rezar:
- Senhor, abençoa estes alimentos, blá,blá.. Damos graças por estes alimentos...
Passa-se um minuto e o rapaz continua de cabeça baixa rezando: - Obrigado Senhor...blá,bla...
Passam-se cinco minutos : - Abençoa Senhor este pão... Todos se entreolham surpreendidos, e a namorada lhe diz ao ouvido:
Meu amor, não sabia que eras tão religioso...
E eu não sabia que o teu pai era farmacêutico!
Conclusão: Não comente os planos estratégicos da empresa com desconhecidos, porque essa confidência pode destruir a sua própria organização.
2- Um homem está entrando no chuveiro enquanto sua mulher acaba de sair e está se enxugando.
A campainha da porta toca. Depois de alguns segundos de discussão para ver quem iria atender a porta a mulher desiste, se enrola na toalha e desce as escadas..
Quando ela abre a porta, vê o vizinho Nestor em pé na soleira.. Antes que ela possa dizer qualquer coisa, Nestor diz: - Eu lhe dou 3.000 reais se você deixar cair esta toalha!
Depois de pensar por alguns segundos, a mulher deixa a toalha cair e fica nua. Nestor então entrega a ela os 3.000 reais prometidos e vai embora. Confusa, mas excitada com sua sorte, a mulher se enrola de novo na toalha e volta para o quarto.
Quando ela entra no quarto, o marido grita do chuveiro:
- Quem era?
- Era o Nestor, o vizinho da casa ao lado, diz ela.
- Ótimo! Ele lhe deu os 3.000 reais que ele estava me devendo?
Conclusão: Se você compartilha informações a tempo, pode prevenir exposições desnecessárias.
3- Um padre está dirigindo por uma estrada quando vê uma freira em pé, no acostamento.
Ele pára e oferece carona. A freira aceita. Ela entra no carro, cruza as pernas revelando suas lindas pernas.
O padre se descontrola e quase bate com o carro. Depois de conseguir controlar o carro e evitar o acidente, ele não resiste e coloca a mão na perna da freira. A freira olha para ele e diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129! O padre, sem graça, se desculpa:
- Desculpe Irmã, a carne é fraca.... E tira a mão da perna da freira.
Mais uma vez a freira diz:
- Padre, lembre-se do Salmo 129!
Chegando ao seu destino a freira agradece e, com um sorriso enigmático, desce do carro e entra no convento.
Assim que chega à igreja o padre corre para as Escrituras para ler o Salmo 129, que diz:
'Vá em frente, persista, mais acima encontrarás a glória do paraíso'.
Conclusão: Se você não está bem informado sobre o seu trabalho, pode perder excelentes oportunidades.
4- Dois funcionários e o gerente de uma empresa saem para almoçar e na rua encontram uma antiga lâmpada a óleo.
Eles esfregam a lâmpada e de dentro dela sai um Gênio. O Gênio diz:
- Eu só posso conceder três desejos, então, concederei um a cada um de vocês!
- Eu primeiro, eu primeiro.' grita um dos funcionários... Eu quero estar nas Bahamas dirigindo um barco, sem ter nenhuma preocupação na vida ' ..
Pufff e ele foi ....
O outro funcionário se apressa a fazer o seu pedido:
- Eu quero estar no Havaí, com o amor da minha vida e um provimento interminável de piñas coladas!
Puff e ele se foi ....
- Agora você - diz o gênio para o gerente..
- Eu quero aqueles dois palhaços de volta ao escritório logo depois do almoço para uma reunião!
Conclusão: Deixe sempre o seu chefe falar primeiro.
5- Na África, todas as manhãs, o veadinho acorda sabendo que deverá conseguir correr mais do que o leão, se quiser se manter vivo.
Todas as manhãs o leão acorda sabendo que deverá correr mais do que o veadinho, se não quiser morrer de fome.
Conclusão: Não faz diferença se você é veadinho ou leão, quando o sol nascer, você tem que começar a correr..

6- Um corvo está sentado numa árvore o dia inteiro sem fazer nada.
Um pequeno coelho vê o corvo e pergunta:
- 'Eu posso sentar como você e não fazer nada o dia inteiro?'
O corvo responde, sorrindo:
- 'Claro, porque não?'
O coelho senta no chão embaixo da árvore, e relaxa.
De repente uma raposa aparece e come o coelho.
Conclusão: Para ficar sentado sem fazer nada, você deve estar no topo.
7- Um fazendeiro resolve colher algumas frutas em sua propriedade, pega um balde vazio e segue rumo às árvores frutíferas.
No caminho ao passar por uma lagoa, ouve vozes femininas que provavelmente invadiram suas terras.
Ao se aproximar lentamente, observa várias belas garotas nuas se banhando na lagoa, quando elas percebem a sua presença, nadam até a parte mais profunda da lagoa e gritam:
- Nós não vamos sair daqui enquanto você não deixar de nos espiar e for embora.
O fazendeiro responde:
- Eu não vim aqui para espiar vocês, eu só vim alimentar os jacarés!
Conclusão: A criatividade é o que faz a diferença na hora de atingirmos nossos objetivos mais rapidamente.


CARRO MOVIDO A AR